Como PARAR de não se sentir bom o suficiente

654B41FD-0D37-4924-940A-C2334478C51D.JPG

Estou escrevendo esse texto diretamente do lobby de um dos hotéis mais badalados de Nova York. Ele é conhecido por ser a casa dos empreendedores milionários, hipsters e descolados. O ambiente é escuro, com cara daquelas bibliotecas de faculdade americana que vemos em filmes, aconchegante e cheio de gente que parece saber o que está fazendo da vida.

Frequentar esses lugares é um constante exercício para mim. Exercício porque ainda existe uma parte em algum lugar lá dentro que não sente que merece estar nesse tipo de lugar, com essas pessoas, em meio ao luxo e o cool.

Você já sentiu que algo é bom demais para você?

Não se sentir bom o suficiente

Nasci e fui criada boa parte da minha vida no Rio de Janeiro e consigo lembrar nitidamente de diversos episódios na minha infância onde minha família e eu iríamos passear em um shopping em alguma área mais nobre da cidade e eu ficava o tempo todo morrendo de vergonha de estar lá.

Achando as pessoas bonitas demais, magras demais, ricas demais, bem vestidas demais… Parecia que eu não me encaixava… Que aquilo não era para mim.

Lembro também de diversas vezes onde a minha mãe comentava sobre a Zona Sul do Rio e como a gente deveria evitar de andar por lá, já que “a gente vai se perder” e “é bairro de rico".

Hoje eu tenho plena clareza de que todos esses sentimentos que aos 12, 13 anos eu enfrentava em qualquer situação onde me achasse menos do que as pessoas ao meu redor, vem na verdade de uma crença muito forte de não merecimento e baixo valor.

Crenças essas criadas ao longo da infância e confirmadas repetidas vezes pelas figuras de autoridade na minha vida durante esse tempo (pais, professores, amigos próximos…). Hoje sei que nenhum deles fez isso de maneira consciente mas, ainda assim, o recado estava sendo constantemente dado: sou menos.

Você também já se sentiu assim?

Como PARAR de não se sentir bom o bastante

Deus e o Universo tem maneiras muito lindas e bem humoradas de trabalharem nossas crenças e nos levarem para onde precisamos estar e, olha só… Aos 19 anos cabei me mudando para Zona Sul!

Para ser bem sincera, no início eu me sentia um peixe fora d’água! Olhava para as pessoas ao meu redor, os restaurantes, cafeterias e até a rua da minha casa e pensava:

“O que eu eu tô fazendo aqui???”

Ainda não tinha ideia de todas as crenças limitantes que tinha à respeito de não merecimento (a descoberta e a cura disso só veio um bom tempo depois), mas o processo natural que começou a acontecer é o mesmo que uso hoje: comecei me expor à esses lugares de propósito, para que eu me tornasse cada vez mais confortável com eles.

Comecei à ser cliente fiel das cafeterias ao meu redor. Me levei para jantar em restaurantes mais chiques. Assisti filmes cult em cinemas especiais… E aos poucos fui percebendo que eu não era pior do que aquelas pessoas e que elas não eram melhores do que eu.

Também fui percebendo que eu gostava daqueles lugares e que eu me sentia bem estando lá. Entendi que eu merecia me sentir bem.

E os sentimentos de merecimento, de validação, de afirmação pessoal que vem dessas experiências… Isso é muito muito poderoso.

Passo a passo para se sentir bom o suficiente

Se você também se encontra na mesma situação e sabe que merece melhor, aqui vai um passo a passo bem simples e eficiente para que você possa mandar para bem longe esses sentimentos de não merecimento!

PASSO 1: Escolha um lugar ou uma situação que faz com que você não se sinta bom o suficiente

Expor sua opinião no ambiente de trabalho, um bairro mais chique da cidade, colocar seu trabalho online… Seja sincero com você mesmo quanto essa escolha.

PASSO 2: Defina uma abordagem para ir se expondo à essa situação (aos poucos)

Expor sua opinião no trabalho —> comece respondendo um e-mail onde estão discutindo uma ideia ou projeto com algo do tipo “Adorei essa ideia! Estava pensando que poderíamos agregar mais algumas coisas nela como X, Y & Z. O que você acham?”

Um bairro mais chique da cidade —> encontre uma Starbucks ou outra cafeteria que você ache legal e esteja nessa área. Leve um livro e se permita passar ao menos uma hora por lá, lendo seu livro e absorvendo o ambiente.

Colocar seu trabalho online —> poste nos Stories do seu Instagram um pedacinho do seu trabalho pronto ou do processo de criação. Pode ser só uma foto ou Boomerang.

PASSO 3: Fique atenta aos sentimentos e sensações que vão vir à tona

Você se sente incomodada? Ansiosa? Com medo? Com vergonha? Se permita sentir o sentimento (não bloqueie ou se cobre para sentir outra coisa!!) e logo depois se lembre que você não é pior do que ninguém e ninguém é melhor do que você. Provavelmente as pessoas ao seu redor não estão nem parando para prestar atenção em você! Cada um está vivendo e seguindo sua própria vida. Respire fundo e continue sua experiência.

PASSO 4: Nos próximos dias, se pergunte de onde esses sentimentos vieram

Nos dias após seu experimento, faça auto analises e se pergunte de onde esses sentimentos vieram. Quando foi a primeira vez que você sentiu esse tipo de sentimento (alguma festinha de amiguinhos na escola, aquela visita que fez na casa dos seus tios que são bem de vida…)? O que te faz acreditar que isso é verdade? O que é REALMENTE verdade (dica: que você não é melhor ou pior que ninguém, que é MUUUUUITO mais do que suficiente!)?

PASSO 5: Repita, repita, repita!

Quanto mais você se expor à esses ambientes e situações, mais fácil e leve vai ser. Lembre de sempre prestar atenção aos seus sentimentos e pensamentos e se traga para uma auto análise depois. Os sentimentos de inadequação que antes eram tão fortes vão perdendo a cor e você vai construindo uma nova realidade. Tenha paciência e abrace seu processo.

Como saber se sou inadequada?

Por mais que as batalhas iniciais sejam vencidas, sempre vamos ter novos níveis de crenças limitantes para vencermos e essa é a graça de decidir assumir esse papel se ser um eterno estudante de si mesmo!

Esse é o motivo pelo qual eu venho, cada vez mais, me expondo à lugares e situação de alto nível financeiro. É a razão de eu ter decidido vir trabalhar do lobby de um hotel 5 estrelas.

Para mostrar para mim mesma que eu posso estar aqui. Que tudo bem estar aqui. Que eu mereço estar aqui.

Só conseguimos alcançar um novo nível de sucesso (amoroso, financeiro, profissional…) quando entendemos que somos merecedores dele.

Mas isso é assunto para um outro post…

Por enquanto, só preciso comentar que ao escrever essas últimos linhas já estou me sentindo mais em casa aqui. Que bom saber que eu mereço viver meus sonhos. Mesmo os mais loucos.